InícioPortalCalendárioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 The Hell Verse

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Rukia-nee-san
Rank: 2º Sargento
Rank: 2º Sargento
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 76
Personagem Favorito : Toushirou H.
Anime Preferido : Bleach, Fairy Tail
Localização : Terra do Nunca
Idade : 21
Data de inscrição : 22/06/2014

MensagemAssunto: The Hell Verse   Seg 8 Set 2014 - 19:23

Capítulo 10 - Jogando com a Realidade

Aizen Sousuke estava assentado numa refinada poltrona, em seus aposentos. Um tabuleiro de xadrez estava à sua frente, e sorrindo colocou um terceiro peão branco junto dos outros dois. À frente desses peões estavam outros quatro, mas estes eram pretos. No meio de todas as peças… só havia um rei. E esse encontrava-se longe de todas as peças, como se observasse-os a todos de longe, apreciando o seu conflito.

- Um novo elemento para aumentar a diversão…

Tudo não passava de um jogo mortal, na qual o melhor seria declarado vencedor.





I&R





- Ishida!? O que fazes aqui?

- Salvar-te da morte, idiota.

- Repete isso desgraçado!

- Tem calma Ichigo.

O moreno assistia pensativo Abarai segurar o ruivo, evitando que este começasse um conflito com o seu próprio aliado.



FLASHBACK ON

- Urahara-san? Como entrou aqui e… quem deu autorização!?

Ishida acabara de sair de seu banho relaxante, somente de toalha, indo em direcção ao seu quarto. Ao abrir a porta tranquilamente, imediatamente depara-se com o shinigami sentado de pernas cruzadas em sua cama, ocultando sua face com o costumeiro leque. O moreno rapidamente ficou tingido de várias colorações avermelhadas, claramente incomodado pelo estado em que fora visto.

- Yôo Ishida-kun!

- Não haja como se fosse normal invadir a casa das pessoas! Isso é invasão da privacidade alheia!

- Sim, sim… Nossa quanto barulho por algo irrelevante...

- Como que "irrelevante"!? Será que os shinigamis só sabem bisbilhotar a vida dos outros...? Espera, será que eu ainda tenho câmaras a vigiar-me daquele cientista louco…!? Como se chamava mesmo… Sim, o capitão Kurotsuchi!

- Por favor fique tranquilo Ishida-san… O assunto que tenho para falar é sério. É sobre o Kurosaki.

O ambiente tornara-se pesado assim que o loiro debochado fechou o leque e encarou severamente o quincy, que por sua vez estava aturdido pelo improviso que poderia ter surgido.

- Kurosaki? O que ele aprontou desta vez?

- Ele foi para o Inferno mais o tenente Abarai salvar a Kuchiki-san que foi sequestrada por um pecador, mas temo que eles vão necessitar de reforços.

- Um pecador?

- Sim. Suponho que já tenhas ouvido falar a respeito deles.

- Já mas… Em que encrenca eles se foram meter!? O Inferno não é um lugar para qualquer um, nem todos o podem suportar.

- Por isso não informei a Inoue-san e o Sado-kun, eles iriam querer ajudar mas não podem fazer nada. Eles são só humanos com poderes especiais…

- Então porque me informou a mim? Eu também sou um humano.

- É diferente. Para além de humano, és um quincy. Os quincys utilizam a reaitsu da atmosfera e o combinam com o seu próprio poder espiritual para criar armas. Eles lutam com a parte externa da energia. É mais fácil para eles colectar essa energia em ambientes com altas concentrações de partículas espirituais como a Soul Society e o Hueco Mundo.

- Ou seja, sugere que isso possa acontecer também no Inferno?

- Não propriamente… O certo é que um quincy com o teu desenvolvimento espiritual pode aguentar o miasma do Inferno, mas posso estar errado e assim que lá entrares morreres. Aceitas o risco?

- Pode contar comigo.

FLASHBACK OFF



- Deixa-te disso Kurosaki. A prioridade é salvar a Kuchiki-san.

A menção do nome de Rukia fez com que Ichigo rememorasse os três oponentes que olhavam desdenhosos para eles.

- Acabaram de conversar? Vocês são patéticos.

- Desculpem por vos termos feito esperar… Nós vamos resolver isto de uma vez por todas. Eu não tenho tempo a perder com vocês, preciso salvar a Rukia!





I&R





A pequena Kuchiki encontrava-se algemada com correntes abrasadoras nos pulsos. Desde que defendera-se com a bankai, as medidas de segurança aumentaram drasticamente. O ferro ferrugento tinha sido aquecido proporcionalmente para queimar sua pele sensível e imobiliza-la de qualquer investida rebelde.

Usando a sua reaitsu gelada, ela diminuía a temperatura infernal do objecto porém não era o suficiente para não haver um vermelhão consequente das queimaduras de terceiro grau.

Pinga, pinga, gota…

Rukia sussurrava enquanto seguia o trajecto das finas gotas de sangue, que fluíam de seus pulsos, por seus braços até caírem lentamente e silenciosamente até o solo onde poças de sangue já se haviam formado.

No vermelho tingido, a shinigami enxergou o seu próprio reflexo, como tentando achar requisitos da mulher que sempre fora. Sorridente, feliz. Contudo parecia uma miniatura de mulher insana. Seus olhos esbugalhados num olhar distorcido, seus lábios emurchecidos e mirrados superficialmente abertos, permitindo que pequenos frisos de saliva escorressem pelo canto de sua boca até o queixo.

A desidratação por falta de água começara a secar o restante do corpo para além da garganta. Mesmo que a morena quisesse urrar de dores pela infindável tortura, não o conseguiria.

Como manter a sanidade num pavimento onde o único barulho produzido eram as gotas escarlates que caindo se juntavam à poça matizada? Sem uma voz, uma companhia para a relembrar de quem ela facto era. Uma shinigami, uma lutadora. Ela naquele momento era uma simples prisioneira que queria se livrar daquelas correntes e ser livre… Livre…

Foi nesse momento que as memórias se foram evocando em sua mente. Porque mesmo seu corpo sendo um refém, sua mente ainda estava livre.

Não era a primeira vez que Rukia era mantida em cativeiro, ela foi presa pela Soul Society. Certo que a tortura física não fora tão profunda mas a psicológica era semelhante. A solidão, a falta de luminosidade, a presença da morte, a ausência do céu azul e sobretudo a saudade de Ichigo.

Ichigo… Como se pudera esquecer dele?



“Até breve!

Quantas vezes já não ouvi isso?

Que importa quantas vezes eu diga? Sempre nos voltamos a ver.”



- Sim, essa foi a nossa promessa…



Ichigo e Rukia se separavam para num futuro desconhecido voltarem-se a unir. Não importava o que acontecia ao redor deles, quem seria o inimigo que eles teriam de enfrentar, sempre se reencontravam. Mesmo que fosse contra as regras, eles sempre o conseguiam. A Soul Society proibiu a Kuchiki de ter contacto com o Kurosaki quando este perdeu seus poderes mas ela o conseguiu ver novamente. Mesmo sendo incorrecto… Eles conseguiam tornar o errado em correcto.

Rukia Kuchiki como uma intrusa, conseguiu travar a chuva interior de Ichigo. Porém, a chuva torrencial que pingava em Zangetsu não se comparava ao sofrimento do coração do ruivo.

Ichigo sempre recordava quando salvou Rukia na primeira vez, ele podia ter parado o pássaro de fogo normalmente mas ele escolheu impedi-lo de costas viradas para o pássaro, para que pudesse vê-la. Um sorriso, um simples olhar dela.

O substituto de shinigami gravou aquele momento em sua memória nunca se esquecendo dele. Não importava o quão longe estavam, eles sempre se reencontrariam.

Rukia surgiu entre a escuridão da noite, uma obscuridade que cobria seus olhos, sua alma. Ichigo permanecia em sua caminhada no meio da chuva, camuflando-se como se fosse mais uma gota solitária do acinzentado céu. Porém, tudo mudou. Ele iluminou o escuro da shinigami, como a lua cheia numa escura noite, encarando por fim a cor cintilante lilás nos olhos da morena e ela secou a chuva do Kurosaki, surgindo como um sol em um dia nublado.

O dia e a noite.

O sol e a lua.

Em algum lugar da jornada eles se apaixonaram. Não se sabe ao certo quando...

Um sorriso brotou nos lábios da morena acorrentada, o seu amor era a sua esperança. O seu amor correspondido era o pilar para ela se manter firme. Confiar e esperar que o substituto de shinigami a conseguisse encontrar e por fim livrá-la daquele pesadelo.

De repente, a masmorra não era mais a mesma para a pequena shinigami. Ela conseguiu enxergar um feixe de luz, um brilho lunar minucioso no meio de sua noite sem estrelas. A única luz daquela prisão.



…E Ichigo Kurosaki sempre cumpre as suas promessas.


Notas Finais


Eu sei que alguns leitores estão tipo ansiosos pelo reencontro IchiRuki e lamento por informar isto mas vai demorar, hehe. Mas não se preocupem, o reencontro não vai significar o fim da fanfic. Muito pelo contrário, ainda vai ter muita coisa depois disso.. ^^
Obrigada a todos os que seguem a fanfic, até para aqueles que não comentam e simplesmente acompanham os capítulos: obrigada! Sei leitores não haveria fic né? :p

Sobre esta reflexão final -como no capítulo anterior fiz do Ichigo, agora fiz com a Rukia- bom por norma o "sol" é o Ichigo e a Rukia a "lua". Eu decidi inverter um pouco os significados. A Rukia no início sempre aparecia à noite, e por isso seu aspecto era meio arrepiante. Mais escura... Ela muda isso à medida que vai convivendo com Ichigo. Digamos que Ichigo foi a Lua numa noite sem brilho, e Rukia foi o sol no meio de um dia nubloso. Eheh, espero que tenham gostado da ideia :p

NOTA: "Pinga, pinga, gota" é uma frase que Juvia do anime Fairy Tail pronunciava muito em dias de chuva :3

Beijinhos, Jya née.

_________________
"Pinga, pinga, gota."
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Lidi_Nalu
2º Tenente
2º Tenente
avatar

Feminino
Número de Mensagens : 395
Personagem Favorito : Nastu,Lucy,N
Anime Preferido : Naruto Shippuuden, F
Localização : Em Algum Lugar... ^^
Idade : 19
Data de inscrição : 23/06/2014

MensagemAssunto: Re: The Hell Verse   Seg 8 Set 2014 - 20:15

Awwwww.... Adoreii... Soooo Sweet!
To loka para esses Dois ^^
Ansiosa *o*

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
The Hell Verse
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» Go to Hell
» Demônio de hell
» Let's Go in a Highway to Hell

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Anime Neo :: -- ÁREA FANFIC' ! -- :: FanFic's-
Ir para: